A era do Empreendedorismo Social!

A palavra empreendedorismo é originária do Francês “entrepeneur“, que significa fazer algo novo, inovador. Logo, visando isso, o empreendedorismo social surgiu com o intuito de trazer ações inovadoras para o campo social, buscando trazer soluções sustentáveis para problemas locais e populacionais. Ao longo dos anos, as empresas de terceiro setor vem cada vez tendo como objetivo aumentar a inclusão dos cidadãos em situação de exclusão e risco, dentro da sociedade civil e política.

Para isso, essas empresas utilizam-se de práticas e princípios de gestão e inovação com o intuito de ofertar serviços ou produtos que possibilitem a melhoria na condição de vida das pessoas envolvidas e beneficiadas, fazendo com que as mesmas cumpram com seu objetivo social e, ainda assim, consigam atingir a sustentabilidade financeira da organização.

Assim, empresas sociais não possuem como objetivo possuir lucros, mas atingir um equilíbrio financeiro e conseguir promover uma maior qualidade de vida das pessoas que estão envolvidas no projeto, trazendo soluções para problemas sociais. Mas sabemos que não é bem assim. Diversas empresas sociais vivem a base de doações e, caso não ocorram, acabam passando por períodos de dificuldades ou até mesmo chegam a encerrar as atividades.

Enxergando essa deficiência do setor, em 2016, foi fundado no Recife o Porto Social, Instituição que tem como finalidade estimular, impulsionar e auxiliar empreendimentos sociais como: instituições não governamentais (ONG’s), negócios sociais e projetos sociais em todo o Brasil a se tornarem sustentáveis financeiramente ao longo dos anos e com o intuito de fomentar e estimular boas práticas de gestão dentro dessas instituições.

Como relatou Fábio Silva, presidente do Porto Social, “o objetivo da instituição é profissionalizar ideias, ONG’s e negócios sociais, mas sem perder a paixão, o brilho no olho de causar impacto.” Para isso, apenas no seu ano de fundação, o Porto Social conseguiu auxiliar através do seu processo de incubação (processo de acompanhamento, auxílio e aulas de gestão, inovação, empreendedorismo, dentre outros aspectos para os empreendedores sociais), cerca de 45 empresas e, só em 2017, já conseguiram impactar e auxiliar 35 empreendimentos sociais. Para mais informações acerca do Porto Social, dos seus empreendimentos e colaboradores, acessar:http://www.portosocial.com.br.

Como grande case de sucesso no âmbito de empreendimento social, é válido citar a Volunteer Vacations (Férias Voluntárias, em tradução para o português), empresa idealizada por Mariana Serra em 2014, que tem como objetivo proporcionar oportunidade de viagens nacionais e internacionais, conhecimento de diferentes culturas, diferentes pessoas e locais e, ao mesmo tempo, auxiliar e impactar grandes questões humanitárias ao longo do mundo.

Desde o início da sua criação, em 2014, a Volunteer Vacations realiza cerca de 250 viagens ao ano e planeja viagens para 13 países, dentre eles: Afeganistão, Tanzânia e França. Além de destinos locais, como: Sertão da Paraíba, Sertão do Piauí, Sertão do Pernambuco, por exemplo.

emprrender 1

Com isso, a organização criada por Mariana em 2014, vem impactando diversas Organizações Não Governamentais ao longo dos anos, unindo a experiência única de uma viagem, com a satisfação de gerar impacto na vida de pessoas e na sociedade. Como a própria missão da empresa relata: “em um curto período de tempo, a Volunteer Vacations , junto com seus parceiros, tenta levar a locais que passam por algum tipo de dificuldade humanitária colaborações que façam a diferença. Educação, serviços de saúde, cultura, arte, lições de empreendedorismo, por exemplo. Levar esperança e alegria. Ajudar crianças com câncer, idosos em asilos, atividades artísticas”. Para mais informações acerca da Volunteer Vacations e sua história, acessar: http://volunteervacations.com.br/.

Visto isso, é possível perceber que, ao longo do tempo, a quantidade de profissionais engajados em empreendimentos sociais vêm crescendo no país ao longo dos anos. Prova disso é, que, segundo uma pesquisa feita pela Deloitte, 73% dos jovens, conectados com a internet, da geração Y (Geração de pessoas que nasceram após 1980, segundo a sociologia), se preocupam e objetivam ter uma carreira conectadas a um propósito e que cause impacto social. Martin Seligman, um dos maiores especialistas em psicologia positiva, diferencia os três estados de felicidade: a vida prazerosa (hedonista, superficial), a boa vida (família e amigos) e a vida significativa (encontrar um propósito, transcender o ego, trabalhar para um bem maior).

emprrender 2

Seligman também executou uma pesquisas que mostra que a geração Y está mostrando uma tendência para a busca do significado e propósito em suas vidas. Esse ponto merece bastante destaque, que são as organizações com propósito, tema que iremos abordar em breve aqui no blog.

Pensando nesses pontos e buscando cada vez trazer um impacto ainda mais positivo, a A.C.E. Consultoria executa alguns projetos pro bono (gratuitos) para instituições sem fins lucrativos da cidade do Recife. Alguns dos projetos executados no ano de 2017 foram para Orquestra Criança Cidadã, Movimento Pró – Criança e para a ONG Lar de Clara.

Rafa - Blog
Rafael Andrade
Gerente de Projetos
A.C.E. Consultoria


1 Comentário

Deixe uma resposta