As estatísticas nem sempre são favoráveis. No Brasil, o saldo de fechamentos empresariais é maior do que o de abertura desde 2014. De acordo com o G1, em 2016, o saldo de fechamentos foi maior do que o de aberturas com diferença de mais de 100.000 empresas. São números que, assim de cara, podem parecer bem assustadores. Entretanto, todo empreendedor tem em si a obstinação de criar novos produtos e crescer; esse é o motivo pelo qual os países não caem em ostracismo econômico. O que você precisa é, mantendo o otimismo, aprender a importância de entender a economia do seu mercado para avançar.

Como minimizar o risco de um empreendimento?

Por falta de preparo, pesquisa ou ainda por erros de avaliação, muitos novos negócios geram enormes prejuízos. A inovação é sempre necessária, a empolgação e assertividade de lançar uma ideia revolucionária gera dúvidas, mas é sempre promessa de lucro, evolução e ganho de espaço. Entretanto, quando não vêm aliados a um plano financeiro bem avaliado, os riscos são grandes.

Primeiramente, é necessário ter clareza sobre todos os recursos envolvidos: tecnologia disponível, quais materiais são necessários e quais faltam, qual será o mercado consumidor. Aprenda a identificar e controlar os custos e despesas necessárias, tanto para o início quanto para a continuação da empresa, sabendo quando interferir, ajustar, tomar decisões estratégicas, reduzir gastos, ampliar espaços ou ainda ousar planos de aumento de lucro.

Aventurar-se no mundo empresarial é sempre um risco, afinal, é preciso investimento. É exatamente por esse motivo que o estudo da viabilidade econômica é tão necessário. Sem esse tipo de pesquisa e diagnóstico, em vez de montar uma estratégia de passos pensados, você agirá instintivamente, sem muitas informações precisas, vulnerável a situações inesperadas. De repente, uma ideia que parecia ótima, mostra-se um fracasso apenas por não ter sido feita com base em dados coesos.

Viabilidade econômica

Um estudo de viabilidade econômica, como o próprio nome infere, compõe uma série de análises e pesquisas de mercado que observam se é viável ou não executar um plano. Não é necessário apenas para abrir uma empresa, mas em qualquer fase inicial de projeto. O estudo evita a perda de dinheiro e a falta de retorno e, além de evitar danos irreversíveis, prevê qual o real potencial de lucro.

Pode ter também caráter bastante oficial, no caso de ser requerido pelas instituições financeiras para crédito empresarial. Com base nessas informações, o banco avalia se libera ou não o crédito, de acordo com a previsão detectada pelo estudo.

É importante entender que o estudo da viabilidade econômica é diferente do estudo de viabilidade financeira: ele é mais horizontal e comparativo, não analisando apenas o projeto em si, mas o seu contexto, sendo uma maravilhosa ferramenta de inteligência de mercado.

Para realizar esta análise, alguns passos precisam ser seguidos:

  • Analise o mercado

O primeiro passo para o estudo é realizar uma análise do mercado no qual a sua empresa ou projeto irá se inserir. Assim, você terá material para iniciar também o planejamento estratégico. Colete informações sobre o setor, entenda seu concorrente e a rentabilidade média dele. Entenda as influências econômicas boas e más, projetando suas receitas e custos.

  • Projeção de receitas e custos

A projeção de receitas é a identificação da possibilidade de o projeto gerar receita e rendimentos. Para isso, é necessário conhecer o mercado. Faça projeções da sua capacidade de gerar retornos de forma realista, analisando o crescimento e as escolhas das empresas do mesmo ramo, suas épocas boas e más.

Já a projeção de custos, despesas e investimentos justifica a projeção feita anteriormente. Antecipe seus gastos, anotando tudo com cuidado: materiais, maquinário, colaboradores, funcionários, etc. Nesse segmento também vai a projeção de reinvestimentos, contando com o fator mudança e continuidade do projeto.

Também temos a projeção dos fluxos de caixa, ou seja, movimentação de dinheiro. Tenha sempre registrado o que entra e sai e, para o início, faça a conta da diferença entre a projeção da receita e dos custos.

  • Analise os indicadores

Tenha sempre em consideração os indicadores econômicos que podem ser obtidos através do estudo de viabilidade econômica.

Para ter uma visão mais ampla, anote-os e tenha-os sempre em alguma planilha eletrônica. Trouxemos alguns principais:

Valor Presente Líquido

Com base na comparação entre o capital investido e o custo de capital envolvido, sabemos quão positivo tem sido o resultado.

Taxa Interna de Retorno

Tem base no fluxo de caixa livre, pelo qual verifica os retornos do investimento.

Indicador de Retorno de Capital (ou Payback)

Mostra quando o fluxo de caixa deixa de ser negativo e passa a ser positivo, de modo que o investimento passe a dar lucro.

Taxa Mínima de Atratividade

Representa o valor mínimo que o investidor pretende ganhar ao realizar o investimento, considerando tempo e riscos do mercado.

  • Considere imprevistos

Faça reserva, pense nos momentos de crise e não pense em depender dos seus investidores permanentemente. É sempre importante pensar em emergências, estar preparado para o mercado. Assim, você sempre terá capital para se manter.

Sabemos que esse assunto é complexo e cheio de minúcias, sendo necessário, muitas vezes, especialistas para que o estudo de viabilidade econômica não tenha erros. Conte conosco também para um diagnóstico gratuito de viabilidade econômica, converse com nossos especialistas.

Fale com um consultor

Leia também