Manter-se verificando as indicações ao longo da estrada empresarial é muito importante. Estabelecemos metas e estamos sempre checando quão próximos estamos de cumpri-las, usando planos de feedback e controle do planejamento estratégico. Essa atitude mantenedora evita retrabalho e custos desnecessários por falhas que podem ser facilmente resolvidas. Ao final do ano, é importante repassar todo o desempenho empresarial.

Dentro desse desempenho empresarial, estão muitos aspectos do negócio. Como um pilar bastante importante, englobamos toda ação adotada para gerir os funcionários: definir programas de recrutamento e seleção, bônus salariais, funções, responsabilidades e formatos avaliativos, projetos de treinamento, demissões e mudanças no time.

Um dos desafios na gerência é que a troca constante de funcionários prejudica a empresa, atrasando lançamento de produtos, campanhas e a perfeição na entrega de serviços por necessitar de treinamento para novos servidores, entre outros obstáculos. Para isso, é sempre importante pensar na essencialidade de cada profissional, planejando a equipe mesmo nos momentos de estabilidade – não apenas durante a crise. Ao contrário: quando pensamos na completude do time em momentos estáveis, somos mais eficazes em prepará-los para as situações em que a empresa precisa de soluções rápidas.

A importância da boa liderança

Nas empresas grandes, o fluxo dos projetos e campanhas pede harmonia e boa comunicação entre funcionários. Em empresas pequenas, o número reduzido de profissionais pede uma atuação entrosada como em um time de futebol. Para isso, o empreendedor precisa exercer seu papel de líder.

Desenvolver rotinas de capacitação, motivar a equipe e, dentro deste trajeto, exercer boa avaliação de desempenho. É importante perceber que tal avaliação não poderá ser mascarada pelos resultados alcançados mensalmente. Muitas vezes, podemos ser surpreendidos por falhas antes não notadas e facilmente percebidas durante uma boa avaliação, que também será útil para verificar o crescimento geral da empresa.

A boa liderança engloba entender a dinâmica do grupo, permanecendo consistente em sua mensagem como líder. É sempre interessante a intervenção para definir métodos de trabalho em equipe e dar aos membros de alta produção o feedback construtivo e reconhecimento que eles estão procurando e merecem. Uma liderança humanizada e eficaz evita favoritismo, classificações injustas e potencializa o que há de melhor no funcionário.

Para dar esse feedback, precisamos de modelos avaliativos que não estejam focados no passado – principalmente o passado próximo à data de entrega de um projeto, pois não refletem o trabalho do ano todo.

As problemáticas de uma má avaliação

Uma boa avaliação potencializa as qualidades do bom funcionário, auxiliando na produtividade do seu negócio, tornando a carga horária diária mais recheada de atividades otimizadas e mais lucrativa. Uma má avaliação, por outro lado, pode definir metas errôneas e dar feedbacks desmotivadores.

Para que sua avaliação seja aperfeiçoada, é importante que o funcionário conheça a sistemática, objetivos, regras, periodicidade, formato e tempo de aplicação e consequências. Dessa forma, forneceremos indicadores objetivos sobre quais entregas cada profissional deve fornecer. Com os requisitos avaliativos claros, teremos registros que evitam ambiguidade, com anotações e observações, conclusões e recomendações que farão parte do feedback.

Para o feedback, é importante a individualidade e a clareza, evitando a exposição desnecessária. Em um momento a sós com seu funcionário, apresente seus pontos fortes, onde poderá melhorar e quais qualidades poderá potencializar. Mas o feedback não para por aí: disponibilize um momento de sugestões por parte da equipe para os gestores, visando gerar inovações, empatia e colaboração.

Prezando pela assertividade, é imprescindível definir previamente os mecanismos de avaliação e alinhar com toda a equipe.

Qual é a boa avaliação?

O ideal é que a avaliação de desempenho não se prenda a formulários ou números e envolva uma reflexão do gestor responsável. Uma simples atribuição de nota gera competitividade, sensação de perigo, enquanto uma reflexão ponderada pode potencializar as qualidades de cada funcionário.

Para escolher qual método avaliativo é o melhor, defina primeiramente suas metas para 2020. Após definir qual é o objetivo, encontre o melhor método, mantendo-se em planejamento constante com a equipe.

A autoavaliação

Realize-a em duas etapas. O profissional responderá a um questionário que reflete sobre seu trabalho, identificando pontos fortes e falhos. Na segunda etapa, junto ao gestor, discutirá como melhorar sua performance. A análise por parte do próprio profissional será mais profunda, promovendo um crescimento eficaz.

A avaliação da participação

Essa simples e humanizada avaliação será muito útil para compreender o seu profissional. Acompanhando a participação do funcionário, como nos mecanismos de medição de tempo e frequência, traduzimos os dados em uma métrica de desempenho bastante útil. As faltas incomuns ou constantes mostram bastante sobre o bem-estar ou mesmo vontade do funcionário, bem como sobre a própria empresa.

A desmotivação, exaustação ou problemas de saúde podem ser causados pelo cenário empresarial. Verificar se é saudável o ambiente no qual seus funcionários trabalham ou se a falta de um profissional acaba pressionando e exercendo trabalho extra para outros é garantir que você como gestor cuida e zela pela equipe e corporação, evitando colocar o inteiro desempenho em risco.

A avaliação da equipe

A avaliação individual é importante, mas a soma de esforços também define os resultados. Reunindo o grupo, você pode fazer ajustes, alinhamentos, reposicionar profissionais, entender sua equipe e melhorar o relacionamento e comunicação.

Para esta avaliação, você poderá separar cada qualidade necessária: atendimento, eficiência ou iniciativa, por exemplo. Os métodos são vários: verificar quem cumpre as tarefas dentro do prazo (e se não cumpre, os motivos), como funciona o atendimento ao cliente ou notar quem toma as iniciativas e é mais proativo.

A escala gráfica

Método simples, fácil e tradicional, cria-se um formulário com colunas. Na primeira, identifique quais variáveis são importantes: pontualidade, potencial, assiduidade etc. Nas colunas seguintes, identifique o valor: péssimo, ruim, regular, bom ou ótimo.

Se desejar uma avaliação mais profunda, talvez essa não seja a mais indicada. Entretanto, a partir deste modelo, é possível ampliar outros.

Utilize dados

Utilizar dados para medir é um excelente método. Informações sólidas permitem definir perfis profissionais com mais justiça, saber qual perfil é mais interessante para a empresa, conhecer os investimentos, colaboradores e movimentações internas, facilitando a tomada de decisão. Para isso, você pode usar ferramentas como um software ERP (Enterprise Resource Planning, ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial, em português).

A avaliação do líder

Não esqueça: os líderes também precisam ser avaliados. Eles são primordiais para os resultados da equipe e sua má performance acaba afetando todo o cenário da empresa.

Conte com parcerias especializadas

As parcerias que podem otimizar o desempenho da sua equipe são várias: desde o recrutamento e seleção até o desenvolvimento de um projeto de reorganização do time já existente.

Se precisar de uma ajuda extra, estamos disponíveis com um diagnóstico grátis eficaz para a otimização da sua equipe. É a forma ideal de começar 2020 com o pé direito.

Fale com um consultor

Leia também