Os empreendedores possuem muitas características que os diferem, mas algo que todos querem é: ter sucesso!

Encontre algo que te motive e forneça a alguém uma solução para um problema ou desejo de um público. Esses fatores garantirão o sucesso de sua empresa!

Mas como encantar os seus consumidores com seus produtos?

Todo produto de sucesso atende a uma necessidade ou desejo de um segmento de pessoas.

Quando se tratando de alimentos, existem alguns fatores que te guiarão e que te farão enxergar com mais facilidade como solucioná-los:

Leia também: “Como Conquistar o Cliente com um Produto Novo?”

  • Defina o público que irá atender

Saber exatamente quem irá usufruir do seu produto te ajudará a conhecer melhor quais são suas necessidades e desejos.

Definindo o público alvo, você consegue entender a rotina, o tipo de alimentação que possuem e preferências dessas pessoas.

Resumidamente, é necessário encontrar fatores que te aproximam do que seu público buscaria no seu dia a dia para encontrar seus produtos.

  • O que esse produto vai oferecer?

Após definir qual o seu público-alvo, tendo em vista o que eles precisam ou sentem falta, está na hora de pensar o que seu produto vai oferecer.

Nesse processo não se deve pensar apenas em composição, nutrientes, quantidade e preços mas sim em experiência.

Vários empreendedores de sucesso têm muito claro a experiência que seus produtos proporcionam, em conjunto aos fatores que tornam esses produtos únicos, assim fazendo diferença no mercado.

Um ótimo exemplo que podemos utilizar é a busca por tentar misturar: saudabilidade, praticidade, preço acessível e ótima experiência sensorial.

Também, é necessário ter claro quais estratégias serão utilizadas para não ficar preso a pontos tão abrangentes.

Ou seja, pensando no seu público, você deve entender os seguintes pontos:

  • Quais são os benefícios que meu produto trará para a saúde do meu consumidor?
  • Como posso reduzir os custos sem afetar a sustentabilidade da minha produção?
  • Quais são as características sensoriais que são relevantes para meu produto?

Que tal aproveitar para saber mais sobre como utilizar Subprodutos da Indústria de Alimentos ainda hoje?

  • Quando e onde seu produto será consumido

A experiência do consumidor está muito relacionada a situação que ele vai consumir o produto.

Por isso, como dito anteriormente, é importante entender a rotina do seu público-alvo, pois te ajuda a entender o momento em que eles tenderiam a obter seu produto e onde comprá-lo. O bom posicionamento de um produto é estar no lugar certo e na hora certa.

Dito isso, é importante pensar se o produto será consumido por quem compra e com que frequência este produto seria consumido, pois isso daria indícios não só de quando e onde expor, como também o tempo de prateleira ideal.

  • Como será esse produto?

É essencial entender como será esse produto, visto que as mesmas necessidades podem ser supridas de diferentes formas.

Então, tendo a estratégia do seu produto definida, já discutida anteriormente, deve-se pensar na qualidade final do produto.

Afinal, cumprir ou superar as expectativas é um fator crucial para o sucesso de um produto. E para garantir essa qualidade, atente-se à:

  • Apresentação

Muitos alimentos sofrem alteração de cor, sabor e textura durante o período de estocagem, por isso é muito pensar na melhor maneira de preservar essas características.

  • Aceitação sensorial

Da mesma forma que o sabor, cor e textura, o aroma também é facilmente alterável, assim deve-se tomar o máximo de cuidado para que estas alterações não sejam significantes até o momento de consumo.

Essa teste de aceitação sensorial, normalmente é feita a partir de uma análise sensorial.

  • Segurança do alimento

É de extrema importância que o alimento não ofereça nenhum risco à saúde do consumidor, por qualquer contaminação ou degradação que este venha sofrer.

Então, é necessário haver uma grande atenção aos procedimentos de higiene durante a produção do alimento e também às condições que eles serão distribuídos e estocados.

Inclusive, esse fator é o que mais influencia na durabilidade de um produto, ou seja, na sua vida de prateleira. 

Portanto, sempre se observar as condições de armazenamento e transporte, e escolher os processos e embalagens adequadas.

Quer mais dicas? Leia o texto “Como criar uma boa experiência do consumidor”.

  • Terá viabilidade econômica? 

Para um negócio ser considerado bem sucedido, e portanto, viável economicamente, sua renda obtida com as vendas devem ser maior que os custos de produção.

Pode parecer simples, porém é mais complexo do que você imagina! 

Existem diversos fatores que compõem a estrutura de custos e que também interferem na valorização do seu produto para determinação do seu preço no ponto de venda.

  • Custo com matéria prima

Para calcular o valor do custo final, é importante levar em conta os gastos com matérias-primas, ou seja, de todos os produtos que constituem o produto.

Para isso, deve-se usar os valores descritos nas notas fiscais. E se houver expectativa desses preços aumentarem, é recomendável estimar o possível reajuste.

Nesse custo também deve contar as perdas de matérias-primas durante o processo. Uma boa opção para isso é definir um percentual de perda.

  • Custo de embalagem

Todo produto, por mais simples que seja, precisa de uma embalagem para que possa ocorrer a comercialização, e esse fator é bem importante na hora de calcular o custo do produto.

Nessa etapa, contabiliza-se todos os materiais utilizados para a confecção da embalagem, o valor do processo de criação do design e o custo de produção da mesma.

  • Custo de produção do produto

Para essa fase, é necessário fazer o levantamento de custo de:

  1. Todos os maquinários utilizados para a produção do produto;
  2. Energia;
  3. Mão de obra.

É importante realizar uma boa análise para certificar-se de que a melhor escolha está sendo feita.

Como por exemplo, verificando se um possível investimento na automatização reduzindo o trabalho manual, consequentemente o número de funcionários, seria uma opção mais lucrativa.

Em outro ponto é relevante verificar e pesquisar possibilidades de terceirização em alguns setores ou etapas do processamento.

  • Custo de transporte e armazenamento

Quando se fala em alimentos, esse é um fator muito importante, visto que a grande maioria é muito perecível e, assim, há restrições quanto ao armazenamento e transporte.

Por isso, neste fator deve se ter em mente todas as restrições e necessidades que seu alimento precisa para ser transportado e armazenado em perfeitas condições.

Sendo essencial calcular os gastos com transporte na etapa de distribuição do produto, e ainda, gastos com armazenamento em prováveis ambientes climatizados.

  • Valor do produto

Além dos gastos de produção, na hora de estabelecer o valor do produto deve ser levado em conta o preço de produtos existentes no mercado.

Visto que produtos semelhantes com preços muito discrepantes pode acarretar em um baixo índice de vendas.

Com isto, está atrelado a importância de mostrar os diferenciais do produto que você está oferecendo, demonstrar a qualidade para que o consumidor não leve em consideração apenas o preço do alimento.

Como você deve ter percebido, todas as etapas estão interligadas. E assim, cada decisão deve ser pensada e planejada, garantindo que sua empresa atinja o sucesso!

Resumidamente é importante manter:

  • Foco e estratégia – começar com poucos produtos e garantir a qualidade desses;
  • Planos de inovação – para que a empresa continue crescendo é interessante pensar em novos produtos que se alinhem com o perfil da empresa.

Esses são alguns itens básicos para sua empresa atingir o sucesso! Para saber como adequar melhor essas ideias ao seu negócio

FALE CONOSCO!

Texto Escrito por Mayra Melo, graduanda de Engenharia de alimentos e

Consultora do GEPEA– Empresa Júnior de Engenharia de Alimentos.

Fale com um consultor

Leia também