O Design Sprint se tornou algo tão essencial nos processos de uma empresa que, se o seu negócio ainda não usou essa metodologia, com certeza em algum momento precisará usar.

Aqui no blog já mostramos como aplicar o Design Sprint ao seu negócio, agora seremos mais diretos e vamos apresentar sua aplicabilidade e seus benefícios para o momento atual que estamos vivenciando, com incertezas e desafios.

O meio do empreendedorismo funciona em um ritmo mais rápido que nossa vida normal. É uma corrida rápida para chegar ao produto final e para concluí-la com sucesso é essencial validar e testar sua ideia ao produzir um MVP (sigla para  Minimum Viable product, ou, em português, Produto Minimamente Viável) e ter uma resposta positiva dos testes se seu produto está apto a entrar no mercado. É buscando realizar esse processo com eficiência que o Design Sprint trabalha.

Antes de tudo, o que é o Design Sprint?

O Design Sprint surgiu a partir de uma vertente da Google, a Google Ventures, pelas mãos do designer Jake Knaap, em 2010. Em 2012, ele levou o método para a empresa, onde foi aperfeiçoado o processo. Usa premissas do Design Thinking (imersão, ideação e prototipagem) de forma rápida. Uma abordagem “express” ideal para situações que precisam de soluções rápidas e resultados em pouco tempo.

Soluções rápidas e eficientes. Pense estrategicamente!

Você, gestor(a), pode pensar que sua árvore de processos, desde o nascimento da ideia até a entrega do produto final, está funcionando perfeitamente. E até pode estar, mas com alguns detalhes é possível criar soluções rápidas para etapas que possam estar desperdiçando tempo útil.

Foco! O quanto antes sejam tomadas atitudes conscientes e com objetivos e processos claros, mais rápido serão amenizados ou neutralizados os impactos negativos do problema. Ser estratégico é ver o processo correndo sem falhas, mas ainda sim pensar em formas para agilizar e melhorar sua empresa.

Por melhor que seja a sua gestão, é praticamente impossível que não haja, ao longo do histórico de um negócio, algum momento de crise. Um processo que utiliza uma metodologia, como o Design Sprint, auxilia o gestor a estar sempre um passo à frente. Utilizar o Design Sprint é a diferenciação em um mercado acostumado a pensar apenas no agora.

Juntos somos mais fortes

Sabemos que você, gestor(a), sozinho(a) não consegue visualizar todo o processo e saber o que se passa em cada etapa. Para isso é imprescindível a integração e colaboração da equipe na busca por soluções, de forma a obter uma visão ampla e integral de todos os processos, impactos e desafios de diversos setores a partir de uma atuação multidisciplinar ou transdisciplinar, facilitando a agilidade e o aprofundamento no diagnóstico, ideias e tomada de decisões.

Outro ponto essencial é a inovação. Para solucionar problemas e abrir a mente à novas ideias e oportunidades é preciso inovar. Empresas como Google e IBM  acreditam que 20% do tempo do colaborador deve ser dedicado especificamente a projetos inovadores e esse pensamento já é aplicado nas empresas há anos. Empreender e inovar estão fortemente atrelados, para ser bem sucedido é necessário que os dois caminhem juntos.

Faça algumas perguntas para si mesmo: “Como melhorar o posicionamento da minha marca?”, “Como diferenciar o atendimento ao cliente?” e aplique cada ponto abaixo:

  • Planejamento Estratégico
  • Gerar mais ideias
  • Analisar os riscos
  • Fazer parcerias
  • OUVIR O CLIENTE

Inovar é investir alto, tomar riscos, mas para isso é necessário explorar o mercado e, principalmente, ouvir o seu público-alvo. Muitas empresas pecam nesse ponto, esquecem que o cliente é importante e para o Design Sprint ele é a peça chave do processo.

Design Sprint: Inovar de forma rápida e criativa

Para a metodologia é preciso selecionar uma equipe multidisciplinar, então se define o problema ou desafio a ser resolvido. Partimos então para as cinco etapas da metodologia, que são divididas exatamente em cinco dias, para conceber uma ideia em algo tangível e testável: Entender, Desenhar, Decidir, Prototipar e Testar.

Para se obter um resultado mais assertivo, a equipe deve ser composta por um designer, um product manager (pessoa que tem um vasto e profundo conhecimento sobre o processo de desenvolvimento do produto e o que ele deseja oferecer ao mercado), um stakeholder (pessoa interessada no negócio) e um desenvolvedor ou alguém com conhecimento mais técnico. E, para finalizar, um mediador para facilitar e ir guiando os passos e comandar sessões coletivas.

A metodologia se apresenta como uma junção de etapas: visão multidisciplinar, colaboração, cocriação, incentivo e engajamento da equipe em tempos de quarentena e home office, visão 360º do negócio (já que a ideia é envolver colaboradores de diferentes setores), agilidade nas soluções, prototipagem e validação (menor chance de erros), foco na resolução de problemas de maneira inovadora e criativa.

Durante a pandemia é possível aplicar a metodologia sem perdas ou atrasos, através do trabalho Home Office. O gestor irá trabalhar de maneira multidisciplinar, mas de forma 100% online, através de ferramentas que facilitam a conexão gestão – equipe, como: Hangouts, Google Meet, Skype, Zoom, ferramentas de gestão como Trello, de planejamento e geração de ideias a partir de uma visão 360º como o Coggle.it, e o Mindmeister.

Faça brainstorming, use e abuse da criatividade e utilize a metodologia na sua empresa. Nós da A.C.E. Consultoria trabalhamos o Design Sprint na prática e alcançamos resultados excelentes com nossa equipe. Entre em contato conosco, estaremos prontos para ajudar o seu negócio.

Aproveite e baixe nosso e-book de Gestão de Crises. Com um bom planejamento estratégico, sua empresa conseguirá inovar e superar mais um momento difícil.

Fale com um consultor

Leia também