Todo negócio que precisa transportar seus produtos sofre com a falta de infraestrutura nas estradas e o alto preço dos combustíveis do nosso País. Isso gera um aumento no valor da manutenção dos transportes e, consequentemente, um aumento no valor do produto fornecido, para que não gere um déficit ainda maior na receita da empresa.

Segundo estudo da Fundação Dom Cabral em 2018, as companhias gastaram, em média, 12,37% do seu faturamento bruto com custos logísticos no Brasil nos últimos três anos. Ou seja, tiveram de desembolsar R$ 15,5 bilhões a mais de 2015 – 2018, quando o percentual era de 11,73%.

Entre as vinte principais economias do mundo, o maior custo está aqui (no Brasil). Nos Estados Unidos, por exemplo, as empresas despenderam 8,5% do faturamento e na China 10%.

Diz o professor Paulo Resende, coordenador do Núcleo e da pesquisa.

No Brasil não se investe o necessário para melhorias na infraestrutura. Enquanto o nosso País investe 0,8% do PIB (Produto Interno Bruto), China e Índia investem 2,5% (dados de 2018).

Com uma economia tão instável e problemas político-econômicos que complicam a situação dos empreendedores no Brasil, é imprescindível que a gestão dos recursos financeiros da empresa seja realizada de forma mais acurada, com um excelente plano de redução de custos. A diminuição dos custos logísticos passou a ter um peso importante nas decisões de qualquer organização.

Um sistema logístico baseado em práticas mais enxutas e inteligentes é um elemento extremamente estratégico, que precisa ter um bom planejamento e embasamento na tomada de decisões.

Logística não se resume a transporte…

O setor logístico lida com muito mais elementos além do transporte. Um balanço de custos do setor mostra que deve-se levar em conta:

  • Estoque e armazenamento
  • Mão de obra
  • Movimentação de materiais
  • Custos com estoque
  • Custos com manutenção
  • Custos com transporte
  • Custos com embalagem
  • Custos com produtos
  • Desperdício e perda de mercadoria
  • Ociosidade (pessoas, equipamentos)

Com tantas variáveis em jogo é necessária uma análise de custos detalhada para potencializar prazos e receitas. Os gestores precisam entender esse setor para separar os serviços essenciais e procurar formas de redução de despesas, buscando alternativas sem comprometer a qualidade do serviço e nem o valor do produto.

Para se manter competitivo é essencial uma reestruturação financeira na empresa. Num País em que o setor rodoviário corresponde a 75,9% dos serviços de transporte, planejar e otimizar esse setor é o ponto que separa a empresa do consumidor.

OTIMIZAR E REDUZIR CUSTOS SEM AFETAR A EMPRESA

É complicado estudar um setor, principalmente o logístico – que possui tantos fatores que interferem no valor do serviço – e conseguir otimizar e reduzir os custos sem alterar a qualidade da entrega.

Um exemplo de algo bem simples, mas que consome muito do seu negócio:

“O caminhão vai carregado de produto para entrega, porém retorna vazio.”

Esse período de retorno é considerado ocioso, pois o condutor gasta combustível e horas trabalhadas para carregar nada, então mesmo em movimento temos um caso de ociosidade. Essa situação não é fácil de resolver.

Aqui envolve uma série de ações e tomadas estratégicas nas operações, visando a redução da ociosidade. A criação de rotas mais eficientes, a alocação de veículos em pontos de convergência e até a terceirização do setor de transporte da sua empresa, permitindo entregas de produtos de outros negócios, são opções viáveis. De acordo com o modelo de negócio da empresa, também existem casos em que o mais rentável é contratar uma transportadora que cuidará da entrega dos produtos, desafogando o setor de transportes.

Esses são algumas das possíveis soluções que o setor logístico pode enfrentar, mas escolher e adaptar seus serviços não é uma tarefa fácil. Pensando nisso, listamos algumas sugestões para otimizar e reduzir os custos:

  • Análise de balanço e financeira: Faça um comparativo de Custos vs Orçamento com logística para identificar o impacto do setor na sua empresa;
  • Identifique áreas e atividades que podem ser automatizadas;
  • Invista em KPI’s (indicadores de desempenho);
  • Racionalize suas rotinas de entrega;
  • Invista em tecnologia para mapear, acompanhar, automatizar e garantir maior segurança, monitoramento e otimização de toda a cadeia;
  • Esteja atento à necessidade de manutenção (espaços, equipamentos, pessoas, processos);
  • Invista em um bom planejamento e gestão financeira;
  • Analise a possibilidade de terceirização logística (caso essa tarefa tenha um peso muito grande nas finanças e produtividade da empresa);
  • Invista na curva ABC na gestão de estoque;
  • Planeje, monitore e otimize o estoque;
  • Tenha Metas e objetivos claros, definidos  e alinhados com toda a equipe. Todos trabalhando de maneira integrada e com a mesma visão ajuda na definição de metas e torna-se mais eficaz, facilitando o acompanhamento dos resultados.

Mapeamento, otimização e gestão de processos fazem a diferença!

Entender como toda a atividade do setor funciona, como uma espécie de fluxograma de atividades ajuda a definir como as atividades se desenvolvem deve ser uma prática constante. Uma forma de garantir que isso será realizado é colocando em prática o Mapeamento de Processos.

Essa ferramenta possibilita a análise do passo a passo de cada atividade, permitindo encontrar pontos de melhoria, encurtar tarefas e otimizar processos. Revisar cada procedimento periodicamente, previne erros e gastos desnecessários a empresa.

Existem atividades que são muito detalhistas, produzindo uma chance maior de falhas humanas. Uma ótima alternativa para a otimização de processos é investir em tecnologia. para automação. Com softwares e programas que automatizam as máquinas da produção, como emissão de notas ou envio de confirmação da compra, será garantida rapidez e eficiência nas tarefas.

Por último, toda empresa que deseja se manter competitiva no mercado atual, precisa implementar a gestão de processos em sua produção. A Gestão de Processos é um conjunto de práticas que visa aperfeiçoar continuamente os processos organizacionais da empresa.

Os gestores se propõem a identificar, desenvolver, documentar, monitorar e controlar todos os processos da empresa, para isso é necessário ter uma equipe responsável por esses resultados, evitando o sobrecarregamento de outros setores. Aplicando essas ferramentas de processos à sua empresa, haverá melhoras nas finanças atuais e um gasto logístico operacional mais assertivo.

Para mais informações sobre como agir e adaptar sua empresa durante uma crise, baixe gratuitamente nosso e-book sobre Gerenciamento de Riscos.

A A.C.E. Consultoria é especialista em serviços de gestão, mapeamento e otimização de processos, com mais de 3000 processos entregues pela empresa, e em análise de balanço e análise financeira. Entre em contato conosco.

Fale com um consultor

Leia também